Categorias
BLOG

Relógio de Ponto Físico ou Aplicativo de Registro de Ponto

Relógio de Ponto Físico ou Aplicativo de Registro de Ponto

Sabia que as horas extras foram o assunto mais recorrente no Tribunal Superior do Trabalho em 2020? E o caso não é isolado: em 2019, elas ficaram em 2º lugar no ranking, com um total de 54.730 processos no ano. Já deu para entender a importância de ter um controle adequado de funcionários, né?

Segundo o Decreto Lei nº 5.452 do artigo 74 da CLT, é obrigatório registrar os horários de entrada e saída de funcionários em locais de trabalho com, pelo menos, 20 colaboradores. Se sua empresa se encaixa neste perfil, veja como funciona duas das principais formas de controle de ponto de funcionários: o Relógio de Ponto Físico e o Aplicativo de Registro de Ponto!

Relógio de Ponto Físico: como funciona?

L

Os relógios físicos de controle de ponto são aqueles instalados no próprio local de trabalho e podem ser manuais, mecânicos ou eletrônicos.

Os manuais são semelhantes aos cadernos de ponto, que, como vimos no início do artigo, é muito passível de erros e fraudes, além de não serem nada práticos.

relógio de ponto mecânico, por sua vez, exige que os funcionários insiram suas informações sempre que estiverem entrando ou saindo da empresa, o que também pode ser bem trabalhoso e sujeito a falhas humanas — sejam elas propositais ou não.

Já o relógio eletrônico de ponto (REP) é um equipamento que registra a entrada e saída dos funcionários por meio de artifícios como cartão de ponto e biometria. Em geral, a equipe de RH precisa revisar os registros de todos os funcionários ao final do mês, o que também torna a opção suscetível a falhas no momento de exportar os dados.

E o Aplicativo de Registro de Ponto, como é?

Além de manual e eletrônico, o sistema de controle de pontos também pode ser digital — é o caso dos Aplicativos de Registro de Ponto, como o 3Ponto Web.

Este método, além de ser mais prático para o funcionário, também é mais prático para o RH. Afinal, não é preciso esperar o final do mês para fazer a revisão e controle dos colaboradores. Como as informações são todas unificadas num único aplicativo, a equipe pode acompanhar em tempo real os registros de entrada e saída dos funcionários.

Além disso, como não é feito por um equipamento físico, a opção permite um controle mais apurado de funcionários que não trabalham presencialmente naquele local, como nos dias de trabalhos externos ou home-office. Por outro lado, depender dos dispositivos dos próprios funcionários nem sempre é a melhor solução.

O Aplicativo de Registro de Ponto também costuma ser mais econômico: por não englobar custos de equipamentos e suas instalações e manutenções, a opção é geralmente mais vantajosa financeiramente, mesmo que tenha algum custo mensal.

Relógio de Ponto Físico ou Aplicativo de Registro de Ponto: qual a melhor opção?

Como em muitos casos, a melhor opção depende de diversos fatores, como porte da empresa, número de funcionários e orçamento para implementação do sistema.

Mesmo que cada alternativa tenha seus pontos positivos e negativos, os Aplicativos de Registro de Ponto parecem ser mais modernos e vantajosos. O 3Ponto Web, por exemplo, tem escalas ajustáveis e análise de riscos, além de ser flexível para acordar, ter gestão de justificativas, gerar relatórios em PDF e XLS, entre outros recursos que facilitam o dia a dia do RH.

Se você tem um amigo que pode se interessar por este assunto, marque-o aqui nos comentários!

Veja mais

Relógio de Ponto Físico ou Aplicativo de Registro de Ponto

Sabia que as horas extras foram o assunto mais recorrente no Tribunal Superior do Trabalho em 2020? E o caso não é isolado: em 2019, elas ficaram em 2º lugar no ranking, com um total de 54.730 processos no ano. Já deu para entender a importância de ter um controle adequado de funcionários, né?

Read More »

Vantagens de desenvolver seu próprio software com uma software house

Já imaginou conseguir controlar de forma integrada todos os aspectos que você considera importantes para o seu negócio? Contar com esta opção abre as portas para que sua empresa identifique novas oportunidades, pontos fortes e gargalos, propiciando maior crescimento, com riscos reduzidos em médio e longo prazo.

Read More »

O que é BIG DATA ?

Você provavelmente já ouviu falar em Big Data. O termo, que tem ganhado a cada dia mais
relevância, extrapolou os domínios da Tecnologia da Informação e ganhou destaque em matérias
de revista e jornal. Tudo isso porque a capacidade de operar com grandes volumes de dados se
tornou imprescindível para negócios e organizações de todos os setores.
Mas então, será que se alguém te perguntar, você sabe dizer o que é esse tal de Big Data? Não? Sem
problemas. Neste artigo que preparamos especialmente sobre o assunto você vai entender de uma
vez por todas o que é isso e tirar as principais dúvidas relacionadas ao mercado de trabalho na
área.
Continue conosco e veja a seguir o que é Big Data!
Pense em dados. Muitos dados
Você já ouviu falar que nos últimos cinco anos a humanidade gerou cerca de 90% de toda a
informação da história? Pois é, isso não é mentira. Mas você compreende o que isso significa?
Este dado implica em uma capacidade de criar e armazenar um volume enorme de dados em uma
velocidade também muito grande. E que dados serão esses? Todo tipo de dado. Curiosidades na
Internet, relatórios governamentais, informações de organizações privadas, etc.
E quando falamos em Big Data, estamos nos referindo particularmente a esta última categoria que
citamos: informações geradas por empresas. De acordo com a BSA – The Software Alliance
(representante de grandes empresas de software de todo o mundo) todos os dias são criados
aproximadamente 2,5 quintilhões de bytes de informação. Isso é o Big Data.
Biga Data: e daí?
Lembra que anteriormente nós falamos da quantidade, da velocidade e dos tipos de dados
gerados? Esses são os três Vs do Big Data: Volume, Variedade, Velocidade.
Agora pense, se uma informação é gerada, há um objetivo para isso. Por isso, ela precisa ser
devidamente processada e analisada, certo?
Mas se tantas informações, de tantos tipos, são geradas tão rápido, todos os dias, como priorizar,
segmentar e analisar todas estas informações de forma que elas não se percam nem tenham sua
relevância reduzida? De modo que elas realmente agreguem valor para as empresas que as
criaram?
É aí que entra o cientista de dados. Este profissional é indispensável para fazer o tratamento do Big
Data.
Como ser um profissional reconhecido em Big Data?
Para obter reconhecimento neste ramo, como cientista da informação, você precisa de
algumas habilidades básicas.
Em primeiro lugar, é necessário ter uma boa capacidade de raciocínio objetivo para
acompanhar as necessidades dos seus clientes. Cabe a você decidir quais informações ignorar
ou valorizar, de acordo estritamente com os objetivos e protocolos da empresa.
Também é indispensável ter conhecimentos matemáticos, além de programação e
tecnologias, uma vez que será necessário lidar com muitos códigos em diferentes linguagens,
além de sistemas de armazenamento de informações, como computação em nuvem.
Por fim, conhecimentos em engenharia de redes e uma boa capacidade de avaliar riscos,
realizar simulações e solucionar problemas é indispensável, uma vez que os dados com que
você vai trabalhar são muito valiosos para a organização. Com essas habilidades bem
sedimentadas, é possível ser um profissional bem reconhecido na área de Big Data

Read More »
Categorias
BLOG

Vantagens de desenvolver seu próprio software com uma software house

Vantagens de desenvolver seu próprio software com uma software house

Já imaginou conseguir controlar de forma integrada todos os aspectos que você considera importantes para o seu negócio? Contar com esta opção abre as portas para que sua empresa identifique novas oportunidades, pontos fortes e gargalos, propiciando maior crescimento, com riscos reduzidos em médio e longo prazo.

Mas se você já pesquisou por sistemas para gestão de negócios, deve ter notado como muitos produtos dispõem de uma estrutura padronizada, que engessaria a gestão da sua empresa. Saiba que a solução para isso existe, com o desenvolvimento de uma aplicação personalizada para as suas necessidades.

Quer saber mais sobre o tema? Então continue conosco neste artigo e conheça as vantagens de desenvolver seu próprio software com uma software house!

O software se adequa ao seu negócio, não o contrário

Cada negócio opera sobre um modelo diferente, com atividades em um porte e alcance distinto e forças de trabalho munidas de talentos variados. Neste contexto, não existe receita de bolo quando o assunto é desenvolvimento de software empresarial, pois cada empresa tem suas próprias necessidades.

Assim, a aquisição de um sistema pronto significa que a sua organização terá de se adaptar ao modelo e às soluções fornecidas pela plataforma. Já com o apoio de uma software house, o sistema será desenvolvido sob medida para o seu negócio. Dessa forma, a implementação será realizada de forma muito mais simples e rápida, acomodando o modelo operacional que já funciona para a sua empresa.

Controle sobre as funcionalidades e sobre o seu negócio

Uma situação comum em empresas que compram softwares prontos é que muitas funcionalidades ficam sem uso, enquanto outras fazem falta. Isso pode culminar com a necessidade de aquisição e implantação de múltiplos sistemas, consumido recursos e criando empecilhos à integração dos processos. Em última análise, isso se configura como desperdício de dinheiro e tempo, que podem ser preciosos para a sua organização.

Desenvolver um software sob encomenda para o seu negócio garante que cada funcionalidade seja projetada para atender à rotina da sua empresa. Assim, o software não será subutilizado e todos os indicativos e sistemas necessários ao para otimizar o seu negócio estarão operando e impulsionando seus resultados.

Menos tempo investido em treinamento

Para que o software agregue valor ao seu negócio, é indispensável que os colaboradores conheçam cada uma de suas funções e entendam como utilizá-las. Ao desenvolver um software especificamente para o seu negócio, você ganha a oportunidade de criar um fluxo de trabalho que faça sentido para a sua organização e que valorize as qualidades do seu time.

Assim, o sistema se torna muito mais intuitivo e amigável aos usuários, reduzindo o tempo e os custos de aprendizagem sobre a plataforma.

Maior custo-benefício

Ao comparar os custos de desenvolvimento de um software com os de aquisição de um sistema pronto, muitos gestores acreditam que é mais vantajoso optar pela solução pronta. No entanto, como você pôde ver ao longo deste artigo, há diversos processos e detalhes na seleção e utilização de um software que fazem com que a opção pelo desenvolvimento personalizado torne-se muito mais atraente.

Desta forma, ao se contabilizar todos os recursos investidos em pesquisa, seleção, treinamento e uso de um software pronto versus a criação de um sistema próprio, bem como o potencial de otimização que cada um deles pode oferecer à sua empresa, fica claro que desenvolver seu próprio software é uma opção de custo-benefício muito maior em médio e longo prazo.

Este conteúdo foi interessante para você? Então marque um amigo nos comentários para que ele também possa conhecer as vantagens do software próprio!

 

Veja mais

Relógio de Ponto Físico ou Aplicativo de Registro de Ponto

Sabia que as horas extras foram o assunto mais recorrente no Tribunal Superior do Trabalho em 2020? E o caso não é isolado: em 2019, elas ficaram em 2º lugar no ranking, com um total de 54.730 processos no ano. Já deu para entender a importância de ter um controle adequado de funcionários, né?

Read More »

Vantagens de desenvolver seu próprio software com uma software house

Já imaginou conseguir controlar de forma integrada todos os aspectos que você considera importantes para o seu negócio? Contar com esta opção abre as portas para que sua empresa identifique novas oportunidades, pontos fortes e gargalos, propiciando maior crescimento, com riscos reduzidos em médio e longo prazo.

Read More »

O que é BIG DATA ?

Você provavelmente já ouviu falar em Big Data. O termo, que tem ganhado a cada dia mais
relevância, extrapolou os domínios da Tecnologia da Informação e ganhou destaque em matérias
de revista e jornal. Tudo isso porque a capacidade de operar com grandes volumes de dados se
tornou imprescindível para negócios e organizações de todos os setores.
Mas então, será que se alguém te perguntar, você sabe dizer o que é esse tal de Big Data? Não? Sem
problemas. Neste artigo que preparamos especialmente sobre o assunto você vai entender de uma
vez por todas o que é isso e tirar as principais dúvidas relacionadas ao mercado de trabalho na
área.
Continue conosco e veja a seguir o que é Big Data!
Pense em dados. Muitos dados
Você já ouviu falar que nos últimos cinco anos a humanidade gerou cerca de 90% de toda a
informação da história? Pois é, isso não é mentira. Mas você compreende o que isso significa?
Este dado implica em uma capacidade de criar e armazenar um volume enorme de dados em uma
velocidade também muito grande. E que dados serão esses? Todo tipo de dado. Curiosidades na
Internet, relatórios governamentais, informações de organizações privadas, etc.
E quando falamos em Big Data, estamos nos referindo particularmente a esta última categoria que
citamos: informações geradas por empresas. De acordo com a BSA – The Software Alliance
(representante de grandes empresas de software de todo o mundo) todos os dias são criados
aproximadamente 2,5 quintilhões de bytes de informação. Isso é o Big Data.
Biga Data: e daí?
Lembra que anteriormente nós falamos da quantidade, da velocidade e dos tipos de dados
gerados? Esses são os três Vs do Big Data: Volume, Variedade, Velocidade.
Agora pense, se uma informação é gerada, há um objetivo para isso. Por isso, ela precisa ser
devidamente processada e analisada, certo?
Mas se tantas informações, de tantos tipos, são geradas tão rápido, todos os dias, como priorizar,
segmentar e analisar todas estas informações de forma que elas não se percam nem tenham sua
relevância reduzida? De modo que elas realmente agreguem valor para as empresas que as
criaram?
É aí que entra o cientista de dados. Este profissional é indispensável para fazer o tratamento do Big
Data.
Como ser um profissional reconhecido em Big Data?
Para obter reconhecimento neste ramo, como cientista da informação, você precisa de
algumas habilidades básicas.
Em primeiro lugar, é necessário ter uma boa capacidade de raciocínio objetivo para
acompanhar as necessidades dos seus clientes. Cabe a você decidir quais informações ignorar
ou valorizar, de acordo estritamente com os objetivos e protocolos da empresa.
Também é indispensável ter conhecimentos matemáticos, além de programação e
tecnologias, uma vez que será necessário lidar com muitos códigos em diferentes linguagens,
além de sistemas de armazenamento de informações, como computação em nuvem.
Por fim, conhecimentos em engenharia de redes e uma boa capacidade de avaliar riscos,
realizar simulações e solucionar problemas é indispensável, uma vez que os dados com que
você vai trabalhar são muito valiosos para a organização. Com essas habilidades bem
sedimentadas, é possível ser um profissional bem reconhecido na área de Big Data

Read More »
Categorias
BLOG

O que é BIG DATA ?

O que é BIG DATA ?

Ter um aplicativo não é algo que precisa ser encarado como tendência e obrigatoriedade, mas sim, como um sistema que tende a entregar alguma solução efetiva aos seus clientes ou para alçar novos voos da sua empresa.


O primeiro passo para se ter um aplicativo é a relevância dele para o usuário, ninguém vai instalar um app no celular se ele não for útil de alguma forma, por isso, é importante que seja feito esse estudo.

Além disso, não são todas as empresas que oferecem soluções que demandam um app e, por conta disso, é recomendado um sistema de gestão interna ou até mesmo um site de qualidade.

webadmin

Você provavelmente já ouviu falar em Big Data. O termo, que tem ganhado a cada dia mais

relevância, extrapolou os domínios da Tecnologia da Informação e ganhou destaque em matérias de revista e jornal.

 

Tudo isso porque a capacidade de operar com grandes volumes de dados se

tornou imprescindível para negócios e organizações de todos os setores.

 

Mas então, será que se alguém te perguntar, você sabe dizer o que é esse tal de Big Data? Não? Sem problemas. Neste artigo que preparamos especialmente sobre o assunto você vai entender de uma vez por todas o que é isso e tirar as principais dúvidas relacionadas ao mercado de trabalho na área.

 

Continue conosco e veja a seguir o que é Big Data!

 

Pense em dados. Muitos dados.

Você já ouviu falar que nos últimos cinco anos a humanidade gerou cerca de 90% de toda a

informação da história? Pois é, isso não é mentira. Mas você compreende o que isso significa?

 

Este dado implica em uma capacidade de criar e armazenar um volume enorme de dados em uma velocidade também muito grande. E que dados serão esses? Todo tipo de dado.

Curiosidades na Internet, relatórios governamentais, informações de organizações privadas, etc.

 

E quando falamos em Big Data, estamos nos referindo particularmente a esta última categoria que citamos: informações geradas por empresas. De acordo com a BSA – The Software Alliance

(representante de grandes empresas de software de todo o mundo) todos os dias são criados

aproximadamente 2,5 quintilhões de bytes de informação. Isso é o Big Data.

 

Biga Data: e daí?

 

Lembra que anteriormente nós falamos da quantidade, da velocidade e dos tipos de dados

gerados? Esses são os três Vs do Big Data: Volume, Variedade, Velocidade.

 

Agora pense, se uma informação é gerada, há um objetivo para isso. Por isso, ela precisa ser

devidamente processada e analisada, certo?

 

Mas se tantas informações, de tantos tipos, são geradas tão rápido, todos os dias, como priorizar, segmentar e analisar todas estas informações de forma que elas não se percam nem tenham sua relevância reduzida? De modo que elas realmente agreguem valor para as empresas que as criaram?

 

É aí que entra o cientista de dados. Este profissional é indispensável para fazer o tratamento do Big Data.

 

Como ser um profissional reconhecido em Big Data?

 

Para obter reconhecimento neste ramo, como cientista da informação, você precisa de

algumas habilidades básicas.

 

Em primeiro lugar, é necessário ter uma boa capacidade de raciocínio objetivo para

acompanhar as necessidades dos seus clientes. Cabe a você decidir quais informações ignorar

ou valorizar, de acordo estritamente com os objetivos e protocolos da empresa.

 

Também é indispensável ter conhecimentos matemáticos, além de programação e

tecnologias, uma vez que será necessário lidar com muitos códigos em diferentes linguagens,

além de sistemas de armazenamento de informações, como computação em nuvem.

 

Por fim, conhecimentos em engenharia de redes e uma boa capacidade de avaliar riscos,

realizar simulações e solucionar problemas é indispensável, uma vez que os dados com que

você vai trabalhar são muito valiosos para a organização.

 

Com essas habilidades bem sedimentadas, é possível ser um profissional bem reconhecido na área de Big Data.

 

Leia mais também sobre  a importância de aplicativos para a sua empresa.

Conheça nosso aplicativo de controle de ponto, 3PontoWeb.

Veja mais

O que é BIG DATA ?

Você provavelmente já ouviu falar em Big Data. O termo, que tem ganhado a cada dia mais relevância, extrapolou os domínios da Tecnologia da Informação e ganhou destaque em matérias...

Detalhes

Minha empresa precisa de um App?

Ter um aplicativo não é algo que precisa ser encarado como tendência e obrigatoriedade, mas sim, como um sistema que tende a entregar alguma solução efetiva aos seus clientes ou...

Detalhes
Categorias
CASES

iCrop Irrigação e iCrop Station

webadmin

iCrop Irrigação e iCrop Station

//Sobre este job

Software voltado para o mundo Agro. Desenvolvido para coletar dados de estações climáticas e auxiliar fazendeiros na tomada de decisão.

//Tecnologias Usadas

//Banco de Dados

//FrontEND

//Backend

//Gostou do que viu?

Gostou dos nossos projetos?

Veja mais

Categorias
CASES

SGA Web – Sistema de Gestão de Arquivos

webadmin

SGA Web – Sistema de Gestão de Arquivos

//Sobre este job

Projeto desenvolvido para prefeituras do estado do Amazonas realizarem a transmissão dos arquivos de prestação de contas para o estado e união.

//Tecnologias Usadas

//Banco de Dados

//FrontEND

//Backend

//Gostou do que viu?

Gostou dos nossos projetos?

Veja mais

Categorias
CASES

Plataforma de Propostas de Consórcios

webadmin

Plataforma de Propostas de Consórcios

//Sobre este job

Este projeto foi desenvolvido com o intuito de automatizar o processo de geração de proposta de consórcios, evitando assim o erro humano na simulação dos cálculos e escalando o volume de propostas geradas pela empresa.

//Tecnologias Usadas

//Banco de Dados

//FrontEND

//Backend

//Gostou do que viu?

Gostou dos nossos projetos?

Veja mais

Categorias
CASES

Plataforma para Lojas de Câmbio

webadmin

Plataforma para Lojas de Câmbio

//Sobre este job

Esta plataforma foi desenvolvida para realizar cotações de moedas estrangeiras em tempo real e realizar a compra e venda das mesmas, com módulo financeiro, estoque, conciliação financeira e contas a pagar e a receber é um ERP completo para lojas de câmbio.

//Tecnologias Usadas

//Banco de Dados

//Backend

//FrontEND

//Gostou do que viu?

Gostou dos nossos projetos?

Veja mais

Categorias
BLOG

Minha empresa precisa de um App?

Minha empresa precisa de um App?

Ter um aplicativo não é algo que precisa ser encarado como tendência e obrigatoriedade, mas sim, como um sistema que tende a entregar alguma solução efetiva aos seus clientes ou para alçar novos voos da sua empresa.

webadmin

Ter um aplicativo não é algo que precisa ser encarado como tendência e obrigatoriedade, mas sim, como um sistema que tende a entregar alguma solução efetiva aos seus clientes ou para alçar novos voos da sua empresa.


O primeiro passo para se ter um aplicativo é a relevância dele para o usuário, ninguém vai instalar um app no celular se ele não for útil de alguma forma, por isso, é importante que seja feito esse estudo.

Além disso, não são todas as empresas que oferecem soluções que demandam um app e, por conta disso, é recomendado um sistema de gestão interna ou até mesmo um site de qualidade.

Veja mais

O que é BIG DATA ?

Você provavelmente já ouviu falar em Big Data. O termo, que tem ganhado a cada dia mais relevância, extrapolou os domínios da Tecnologia da Informação e ganhou destaque em matérias...

Detalhes

Minha empresa precisa de um App?

Ter um aplicativo não é algo que precisa ser encarado como tendência e obrigatoriedade, mas sim, como um sistema que tende a entregar alguma solução efetiva aos seus clientes ou...

Detalhes
Categorias
CASES

.MODELO CASE

webadmin

.MODELO CASE

//Sobre este job

Software para apuração de ponto e controle de jornadas,  em conformidade com a Portaria 1510/09 do Ministério do Trabalho.

Software totalmente web e totalmente parametrizável.

//Tecnologias Usadas

//Banco de Dados

//FrontEND

//Mobile

//Backend

//SO Mobile

//Gostou do que viu?

Gostou dos nossos projetos?

Veja mais

Categorias
BLOG

.MODELO BLOG

.MODELO BLOG

Ter um aplicativo não é algo que precisa ser encarado como tendência e obrigatoriedade, mas sim, como um sistema que tende a entregar alguma solução efetiva aos seus clientes ou para alçar novos voos da sua empresa.

webadmin

Ter um aplicativo não é algo que precisa ser encarado como tendência e obrigatoriedade, mas sim, como um sistema que tende a entregar alguma solução efetiva aos seus clientes ou para alçar novos voos da sua empresa.


O primeiro passo para se ter um aplicativo é a relevância dele para o usuário, ninguém vai instalar um app no celular se ele não for útil de alguma forma, por isso, é importante que seja feito esse estudo.

Além disso, não são todas as empresas que oferecem soluções que demandam um app e, por conta disso, é recomendado um sistema de gestão interna ou até mesmo um site de qualidade.

Veja mais

O que é BIG DATA ?

Você provavelmente já ouviu falar em Big Data. O termo, que tem ganhado a cada dia mais relevância, extrapolou os domínios da Tecnologia da Informação e ganhou destaque em matérias...

Detalhes

Minha empresa precisa de um App?

Ter um aplicativo não é algo que precisa ser encarado como tendência e obrigatoriedade, mas sim, como um sistema que tende a entregar alguma solução efetiva aos seus clientes ou...

Detalhes