Categorias
BLOG

Explica: IA

Você provavelmente já ouviu falar sobre Inteligência Artificial. Este é um tema extremamente importante quando falamos sobre tecnologia, por isso, para deixar tudo mais simples, a 3UP vem neste artigo detalhar melhor o assunto. Confira!

Não é segredo que as inovações tecnológicas tomam um rumo tão avançado que até mesmo a ficção se torna menos distante. A disciplina de inteligência artificial em si surgiu apenas no contexto da Segunda Guerra Mundial.

A Inteligência artificial na atualidade

Com a realização de ações que exigem certa inteligência para serem realizadas, as máquinas avançam de maneira que se equiparam à inteligência humana. É o caso de diversos sistemas inteligentes que já existem.

Um exemplo de tecnologia com IA é o reconhecimento facial. A própria Europa já estabeleceu regras para essa funcionalidade, segundo a matéria do G1, uma vez que foi considerada até mesmo prejudicial para a segurança dos usuários.

A partir desses exemplos, você provavelmente já entendeu um pouco sobre o conceito de inteligência artificial. Apesar de se tratar de uma programação, a IA pode simular perfeitamente um comportamento humano.

Com base em diversos dados, um sistema de inteligência artificial pode tomar decisões, raciocinar, avaliar condições e melhorar sua própria cognição.

Resumidamente, é uma maneira quase humana de agir, mesmo que estejamos tratando de uma máquina programada. O conceito surgiu em 1955, por John McCarthy, e evoluiu muito para chegar até aqui.

Os níveis de inteligência artificial

A matéria do Jus Brasil destacou que a tecnologia de IA se desenvolve em diferentes níveis. Isso, porque um programa pode apresentar diferentes estágios de inteligência artificial:

ANI (Artificial Narrow Intelligence): É o nível em que nos encontramos atualmente. Nele, existem programas capazes de administrar grande quantidade de dados, e tomar decisões rápidas, a partir deles.

Por outro lado, essa tecnologia não consegue realizar tarefas que englobem ações para as quais não foi programada.

AGI (Artificial General Intelligence): O segundo nível de IA, o AGI já possui uma capacidade cognitiva equiparada à humana. Dessa maneira, pode “improvisar” em alguns momentos, realizando ações que outro ser humano realizaria.

Essa inteligência também é capaz de dialogar, sugerir, pensar de maneira mais criativa e resolver problemas que outras pessoas resolveriam, de forma rápida e eficiente.

Aparentemente, por estarmos no primeiro nível, esta inteligência ainda não é possível através do processamento de computadores atuais. Por outro lado, pode ser uma realidade nas próximas décadas.

ASI (Artificial SuperIntelligence): Mais capacitada que uma mente humana, a inteligência ASI, proposta por Nick Bostrom será o estágio mais avançado de AI.

Isso, porque segundo o cientista, ela terá uma capacidade de criatividade científica muito maior do que qualquer figura humana que já existiu.

Com capacidade de se auto programar, esta IA seria prejudicial até mesmo à existência humana, como no filme Matrix.

Dessa maneira, é necessário que a ética humana evolua com a tecnologia. Do contrário, em vez de auxiliar, a inteligência artificial nos colocaria em risco, tal como a ficção retrata.

A Inteligência artificial em nosso dia a dia

Para você ter uma ideia do quanto este sistema já faz parte de nossas vidas, a inteligência artificial está envolvida em:

Recomendações de “produtos similares”, quando você faz uma compra online; Sugestões nas buscas do Google;

E-mails de Spam, que você recebe todos os dias;

Máquinas de lavar, que impedem o desgaste da roupa;

Seleção de currículos em processos seletivos; Entre outros.

A IA ainda pode auxiliar as empresas com o atendimento automático e com a análise de dados para estratégias de mercado.

Uma pesquisa da Oxford informou ainda que, dentro de alguns anos, a IA substituirá cerca de 47% dos cargos de emprego da atualidade. Desta maneira, sempre se destacará a instituição capaz de inovar e oferecer o melhor serviço.

Você está pronto para essa inovação? Lembre-se de que a inteligência artificial está evoluindo para melhorar os serviços, e não para robotizá-los. É por isso que a 3UP ainda investe em atendimento humano, para valorizar o contato direto com você.

O que achou desse artigo? Não deixe de marcar um amigo para mostrá-lo como a inteligência artificial irá revolucionar a nossa existência. Até a próxima!

Categorias
BLOG

Principais diferenças entre Machine Learning e Deep Learning

Principais diferenças entre Machine Learning e Deep Learning

Vamos apontar aqui as principais diferenças entre machine learning e deep learning, para você se informar sobre estas novas soluções tecnológicas que crescem exponencialmente e pouca gente vê.

O que é machine learning?

Machine learning nada mais é do que uma forma de utilização de algoritmos para efetuar a coleta de dados e, através dessa coleta, determinar algum padrão de comportamento.

Através deste mapeamento comportamental do usuário, é possível prever algum fato que ainda irá acontecer.

Isso é extremamente relevante para traçar estratégias empresariais em diversas áreas, como segurança da informação, marketing digital, desenvolvimento de softwares, entre outros.

E o que dizem sobre a informação ser a moeda mais valiosa do mundo atual é realmente verdade. Pois se uma empresa consegue antever o que seu público deseja, as chances de ser bem-sucedida no empreendimento aumentam bastante.

O nome surgiu logo quando se iniciaram os estudos e desenvolvimento da inteligência artificial. A aprendizagem das máquinas através de algoritmos inclui algumas técnicas como programação lógica indutiva, árvore de aprendizado, redes bayesianas, agrupamento, dentre outros.

Com isso, não há mais necessidade de implementar rotinas de software, com instruções individualizadas para cada tarefa em particular.

Em vez disso, a máquina recebe uma espécie de treinamento utilizando uma enorme quantia de dados coletados e algoritmos, que fazem com que a máquina aprenda como a tarefa deva ser executada, dispensando instruções.

A área de visão computacional, sem dúvida, sofreu uma enorme evolução em razão do machine learning, ainda que seja necessário um intenso trabalho manual para que uma tarefa seja realizada.

Para que fosse possível identificar o início e o fim de um objeto, por exemplo, era necessário que alguém escrevesse classificadores como filtros detectores de extremidades de imagens para que o software reconhecesse o limite dimensional do objeto.

Em seguida era necessário haver detectores de formato, para que a máquina reconhecesse uma imagem específica de um objeto e compreendesse que em razão de seu formato octogonal e de seus dizeres, tratava-se, por exemplo de uma placa de trânsito.

A partir de classificadores desenvolvidos manualmente é que foi possível construir algoritmos que reconhecessem uma imagem de um objeto e aprendessem a informação nele contida.

O que é Deep Learning?

Inicialmente, vale dizer que deep learning é uma técnica para que se implemente o machine learning, baseada em redes neurais.

Redes neurais artificiais, por óbvio foram inspiradas nas redes neurais autênticas de nossos próprios cérebros, e compreendem nossas interconexões de informações, nossos neurônios e demais componentes.

Estas redes neurais possuem camadas discretas sem contar as conexões e direções para que dados sejam propagados. O que se distingue de nosso cérebro, onde um neurônio qualquer pode se conectar com outro até determinada distância física.

Na primeira camada do deep learning, uma imagem, por exemplo, pode ser fracionada em pedaços menores recebidos pela rede neural.

Em seguida, neurônios individuais transmitem os dados à segunda camada, que executa sua tarefa e transmite para a terceira camada, e assim sucessivamente até a saída na camada final.

Essas redes neurais, quando se tornaram gigantescas, com uma quantidade absurda de dados tornam-se ferramentas imprescindíveis às organizações empresariais.

Se retornarmos ao exemplo da placa de trânsito, a rede neural precisa ser treinada com milhares de imagens para que o algoritmo seja calibrado para reconhecer com mais exatidão do que um humano a informação de forma correta.

Essa taxa de acerto em razão do deep learning, pode identificar desde memes de redes sociais até células cancerosas no sangue de uma pessoa. Isso torna a segurança da informação, o marketing digital e outros softwares muito mais precisos.

Assim o deep learning divide um bloco de dados e informações em várias tarefas menores que podem estender todo o campo de atuação do machine learning. Seja para prever a hora em que seu bebê vai chorar, seja para dirigir um carro sozinho.

Veja mais

Explica: IA

Você provavelmente já ouviu falar sobre Inteligência Artificial. Este é um tema extremamente importante quando falamos sobre tecnologia, por isso, para deixar tudo mais simples,

Read More »

Fim da senha ?

Sabemos que para protegermos as nossas contas virtuais, geralmente utilizamos senhas de acesso, cujo método é um dos mais tradicionais no contexto atual em que

Read More »
Categorias
BLOG

Fim da senha ?

Fim da senha ?

Sabemos que para protegermos as nossas contas virtuais, geralmente utilizamos senhas de acesso, cujo método é um dos mais tradicionais no contexto atual em que vivemos.

Sendo assim, entendemos que a maior parte dos processos que envolvem a segurança em nosso dia a dia, são geralmente utilizados por senhas, de forma que seja possível barrar o acesso de terceiros.

Contudo, recentemente a Microsoft anunciou que pretende retirar as senhas dos usuários a partir de 2021, substituindo-as por métodos mais modernos e seguros.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, confira o nosso post até o final e saiba mais sobre esses novos modelos de segurança e acesso.

O papel da Microsoft no encerramento de senhas em 2021

Antes de tudo, seguindo a mesma linha de outras empresas altamente tecnológicas, a Microsoft também deseja eliminar a utilização de senhas pelos usuários ainda neste ano. Sendo assim, a empresa tem buscado inserir métodos e tecnologias alternativas para realizar a autenticação

Por esse motivo, de acordo com a própria empresa, a ideia é tornar o acesso prático e rápido, sem a necessidade de passwords, e de forma que seja uma realidade para todos os clientes em 2021. Assim, a ideia é que os processos de autenticação sejam rápidos, práticos e acessíveis para todos os usuários.

Em um comunicado realizado em seu site oficial, o vice-presidente corporativo do programa Microsoft Identify, Alex Simons, mencionou o seguinte:

Antes de tudo, sabemos que as senhas tradicionais podem ser incômodas quando são utilizadas, e além de tudo, podem oferecer riscos de segurança para organizações e utilizações de várias dimensões, tendo uma média de 1 em cada 250 contas empresariais comprometidas durante todos os meses. De acordo com a Gartner, 20 a 50% de todas as chamadas direcionadas help desk são justamente para que as senhas sejam redefinidas com palavras-passe.”

Além disso, ele ainda finaliza a questão da seguinte forma: “Nossa equipe tem trabalhado arduamente neste ano para nos juntarmos a parceiros estratégicos, e assim, fazer com que as senhas tradicionais virem algo do passado”.

Através da junção da nova UX e APIs para realizar o gerenciamento das chaves de segurança FIDO2, fazendo com que os nossos clientes consigam desenvolver ferramentas e soluções personalizadas, estamos planejando em fazer a criação de um portal de registro convergente no ano de 2021. Assim, todos os usuários irão conseguir gerenciar credenciais sem senhas através do portal my Apps, contribuindo com a segurança da informação”

Mas agora, quando a negatividade de estar associado a imagem do Presidente Trump é maior que os ganhos conseguidos através das suas postagens duvidosas, chegou a hora de banir sua conta.

As redes sociais são empresas privadas e tem o direito de buscar o lucro, entretanto, quando elas servem de plataforma política para uma sociedade inteira, as normas que se aplicam a esse sistema precisam ser mais rígidas, mas também precisam ser do conhecimento de todos.

Conclusão

Embora as senhas ainda estejam predominando em boa parte de nossas contas, podemos pensar que a sua substituição poderá solucionar diversos problemas em nosso dia a dia, especialmente em questões relacionadas à acessibilidade e segurança.

Ter meios mais eficientes de acessar nossas contas sem a necessidade de redefinição de senhas já é um avanço tecnológico eficiente.

Portanto, agora que você já está por dentro das novidades da Microsoft sobre a substituição de senhas por meios mais práticos de acesso, compartilhe esse post ou marque seus amigos nos comentários para que possam estar por dentro dessa nova tendência em um futuro bem próximo.

 

Veja mais

Explica: IA

Você provavelmente já ouviu falar sobre Inteligência Artificial. Este é um tema extremamente importante quando falamos sobre tecnologia, por isso, para deixar tudo mais simples,

Read More »

Fim da senha ?

Sabemos que para protegermos as nossas contas virtuais, geralmente utilizamos senhas de acesso, cujo método é um dos mais tradicionais no contexto atual em que

Read More »
Categorias
BLOG

Atendimento humano ou de bots?

Atendimento humano ou de bots?

O atendimento ao cliente é um dos pilares essenciais de qualquer negócio. Um bom atendimento pode criar boas impressões da marca na memória coletiva, auxilia a fidelizar um cliente, cria terreno a boas recomendações e muito mais. Hoje em dia, as pessoas esperam serem atendidas em menos tempo e com informações completas, porém, o formato que é feito esse atendimento pode variar. Então, confira nossas dicas abaixo! Atendimento humanizado Vale ressaltar que, assim como tudo na vida, ambos possuem suas vantagens e desvantagens. O atendimento humanizado é aquele que o cliente fala diretamente com pessoas, seja da equipe de vendas, telemarketing ou um outro representante da empresa. Porém, não é porque a pessoa é atendida por oura que é considerado dentro do atendimento humanizado. Ser cordial e prestativo são requisitos necessários nessa categoria.

Vantagens e desvantagens do atendimento humanizado

São muitas as vantagens que podemos citar como um atendimento personalizado, preencher a necessidade de o cliente ser ouvido e se sentir mais cuidado e com isso maior facilidade em ganhar confiança. Porém, esse modelo de negócio requer um investimento maior por parte das empresas, com treinamento de equipe e um setor encarregado de cuidar das tarefas.

Atendimento por chatbot

É uma forma de atendimento que utiliza a inteligência artificial para sua estratégia, ou seja, o atendimento é feito online e por robôs. Normalmente, o próprio software vai se adaptando e readaptando a referências, perguntas e questões, possuindo uma interface bem complexa. Podem atuar em diversos canais e ganharam muitos adeptos no mercado.

Vantagens e desvantagens do atendimento por chatbots

Uma das vantagens que mais chama a atenção é que, apesar de ter uma interface complexa, o custo de investimento não é alto e a eficiência de uso já está comprovada. Porém, caso o cliente receba uma pergunta nunca feita por um cliente, provavelmente a resposta será “Desculpa, não entendi sua pergunta”. Isso acontece porque os chatbots precisam receber instruções prévias e programas. Uma das desvantagens enfrentadas por esse modelo é proporcionar um atendimento um pouco mais frio para as pessoas.

 

Qual a melhor escolha para seu negócio?

Antes de tudo, você precisa conhecer seu público e responder algumas perguntas específicas do seu negócio: As pessoas possuem um padrão de perguntas ou na grande maioria é personalizada? Seu público utiliza muito os meios digitais ou são pessoas que preferem um contato próximo?

O quanto de orçamento e tempo sua empresa está disposta a investir atendimento ao público?

É muito importante que você responda essas perguntas e descubra o que mais se adequa a seu público e estudar as possibilidades. Há também a oportunidade de testar um atendimento híbrido, e navegar no melhor dos dois mundos e proporcionar tanto um alívio da carga e demanda para o setor de atendimento quando o cliente opta por um atendimento rápido e recorre aos chatbots quanto ao cliente que deseja mais atenção e tem dúvidas específicas.

Agora é sua vez! Conta para gente, como você prefere ser atendido, por pessoas ou máquinas? Você ou um amigo tem alguma história que vale a pena compartilhar? Fala com a gente aqui nos comentários, marque seu amigo e vamos conversar!

 

Veja mais

Explica: IA

Você provavelmente já ouviu falar sobre Inteligência Artificial. Este é um tema extremamente importante quando falamos sobre tecnologia, por isso, para deixar tudo mais simples,

Read More »

Fim da senha ?

Sabemos que para protegermos as nossas contas virtuais, geralmente utilizamos senhas de acesso, cujo método é um dos mais tradicionais no contexto atual em que

Read More »
Categorias
BLOG

Relógio de Ponto Físico ou Aplicativo de Registro de Ponto

Relógio de Ponto Físico ou Aplicativo de Registro de Ponto

Sabia que as horas extras foram o assunto mais recorrente no Tribunal Superior do Trabalho em 2020? E o caso não é isolado: em 2019, elas ficaram em 2º lugar no ranking, com um total de 54.730 processos no ano. Já deu para entender a importância de ter um controle adequado de funcionários, né?

Segundo o Decreto Lei nº 5.452 do artigo 74 da CLT, é obrigatório registrar os horários de entrada e saída de funcionários em locais de trabalho com, pelo menos, 20 colaboradores. Se sua empresa se encaixa neste perfil, veja como funciona duas das principais formas de controle de ponto de funcionários: o Relógio de Ponto Físico e o Aplicativo de Registro de Ponto!

Relógio de Ponto Físico: como funciona?

L

Os relógios físicos de controle de ponto são aqueles instalados no próprio local de trabalho e podem ser manuais, mecânicos ou eletrônicos.

Os manuais são semelhantes aos cadernos de ponto, que, como vimos no início do artigo, é muito passível de erros e fraudes, além de não serem nada práticos.

relógio de ponto mecânico, por sua vez, exige que os funcionários insiram suas informações sempre que estiverem entrando ou saindo da empresa, o que também pode ser bem trabalhoso e sujeito a falhas humanas — sejam elas propositais ou não.

Já o relógio eletrônico de ponto (REP) é um equipamento que registra a entrada e saída dos funcionários por meio de artifícios como cartão de ponto e biometria. Em geral, a equipe de RH precisa revisar os registros de todos os funcionários ao final do mês, o que também torna a opção suscetível a falhas no momento de exportar os dados.

E o Aplicativo de Registro de Ponto, como é?

Além de manual e eletrônico, o sistema de controle de pontos também pode ser digital — é o caso dos Aplicativos de Registro de Ponto, como o 3Ponto Web.

Este método, além de ser mais prático para o funcionário, também é mais prático para o RH. Afinal, não é preciso esperar o final do mês para fazer a revisão e controle dos colaboradores. Como as informações são todas unificadas num único aplicativo, a equipe pode acompanhar em tempo real os registros de entrada e saída dos funcionários.

Além disso, como não é feito por um equipamento físico, a opção permite um controle mais apurado de funcionários que não trabalham presencialmente naquele local, como nos dias de trabalhos externos ou home-office. Por outro lado, depender dos dispositivos dos próprios funcionários nem sempre é a melhor solução.

O Aplicativo de Registro de Ponto também costuma ser mais econômico: por não englobar custos de equipamentos e suas instalações e manutenções, a opção é geralmente mais vantajosa financeiramente, mesmo que tenha algum custo mensal.

Relógio de Ponto Físico ou Aplicativo de Registro de Ponto: qual a melhor opção?

Como em muitos casos, a melhor opção depende de diversos fatores, como porte da empresa, número de funcionários e orçamento para implementação do sistema.

Mesmo que cada alternativa tenha seus pontos positivos e negativos, os Aplicativos de Registro de Ponto parecem ser mais modernos e vantajosos. O 3Ponto Web, por exemplo, tem escalas ajustáveis e análise de riscos, além de ser flexível para acordar, ter gestão de justificativas, gerar relatórios em PDF e XLS, entre outros recursos que facilitam o dia a dia do RH.

Se você tem um amigo que pode se interessar por este assunto, marque-o aqui nos comentários!

Veja mais

Explica: IA

Você provavelmente já ouviu falar sobre Inteligência Artificial. Este é um tema extremamente importante quando falamos sobre tecnologia, por isso, para deixar tudo mais simples,

Read More »

Fim da senha ?

Sabemos que para protegermos as nossas contas virtuais, geralmente utilizamos senhas de acesso, cujo método é um dos mais tradicionais no contexto atual em que

Read More »
Categorias
BLOG

Vantagens de desenvolver seu próprio software com uma software house

Vantagens de desenvolver seu próprio software com uma software house

Já imaginou conseguir controlar de forma integrada todos os aspectos que você considera importantes para o seu negócio? Contar com esta opção abre as portas para que sua empresa identifique novas oportunidades, pontos fortes e gargalos, propiciando maior crescimento, com riscos reduzidos em médio e longo prazo.

Mas se você já pesquisou por sistemas para gestão de negócios, deve ter notado como muitos produtos dispõem de uma estrutura padronizada, que engessaria a gestão da sua empresa. Saiba que a solução para isso existe, com o desenvolvimento de uma aplicação personalizada para as suas necessidades.

Quer saber mais sobre o tema? Então continue conosco neste artigo e conheça as vantagens de desenvolver seu próprio software com uma software house!

O software se adequa ao seu negócio, não o contrário

Cada negócio opera sobre um modelo diferente, com atividades em um porte e alcance distinto e forças de trabalho munidas de talentos variados. Neste contexto, não existe receita de bolo quando o assunto é desenvolvimento de software empresarial, pois cada empresa tem suas próprias necessidades.

Assim, a aquisição de um sistema pronto significa que a sua organização terá de se adaptar ao modelo e às soluções fornecidas pela plataforma. Já com o apoio de uma software house, o sistema será desenvolvido sob medida para o seu negócio. Dessa forma, a implementação será realizada de forma muito mais simples e rápida, acomodando o modelo operacional que já funciona para a sua empresa.

Controle sobre as funcionalidades e sobre o seu negócio

Uma situação comum em empresas que compram softwares prontos é que muitas funcionalidades ficam sem uso, enquanto outras fazem falta. Isso pode culminar com a necessidade de aquisição e implantação de múltiplos sistemas, consumido recursos e criando empecilhos à integração dos processos. Em última análise, isso se configura como desperdício de dinheiro e tempo, que podem ser preciosos para a sua organização.

Desenvolver um software sob encomenda para o seu negócio garante que cada funcionalidade seja projetada para atender à rotina da sua empresa. Assim, o software não será subutilizado e todos os indicativos e sistemas necessários ao para otimizar o seu negócio estarão operando e impulsionando seus resultados.

Menos tempo investido em treinamento

Para que o software agregue valor ao seu negócio, é indispensável que os colaboradores conheçam cada uma de suas funções e entendam como utilizá-las. Ao desenvolver um software especificamente para o seu negócio, você ganha a oportunidade de criar um fluxo de trabalho que faça sentido para a sua organização e que valorize as qualidades do seu time.

Assim, o sistema se torna muito mais intuitivo e amigável aos usuários, reduzindo o tempo e os custos de aprendizagem sobre a plataforma.

Maior custo-benefício

Ao comparar os custos de desenvolvimento de um software com os de aquisição de um sistema pronto, muitos gestores acreditam que é mais vantajoso optar pela solução pronta. No entanto, como você pôde ver ao longo deste artigo, há diversos processos e detalhes na seleção e utilização de um software que fazem com que a opção pelo desenvolvimento personalizado torne-se muito mais atraente.

Desta forma, ao se contabilizar todos os recursos investidos em pesquisa, seleção, treinamento e uso de um software pronto versus a criação de um sistema próprio, bem como o potencial de otimização que cada um deles pode oferecer à sua empresa, fica claro que desenvolver seu próprio software é uma opção de custo-benefício muito maior em médio e longo prazo.

Este conteúdo foi interessante para você? Então marque um amigo nos comentários para que ele também possa conhecer as vantagens do software próprio!

 

Veja mais

Explica: IA

Você provavelmente já ouviu falar sobre Inteligência Artificial. Este é um tema extremamente importante quando falamos sobre tecnologia, por isso, para deixar tudo mais simples,

Read More »

Fim da senha ?

Sabemos que para protegermos as nossas contas virtuais, geralmente utilizamos senhas de acesso, cujo método é um dos mais tradicionais no contexto atual em que

Read More »
Categorias
BLOG

O que é BIG DATA ?

O que é BIG DATA ?

Ter um aplicativo não é algo que precisa ser encarado como tendência e obrigatoriedade, mas sim, como um sistema que tende a entregar alguma solução efetiva aos seus clientes ou para alçar novos voos da sua empresa.


O primeiro passo para se ter um aplicativo é a relevância dele para o usuário, ninguém vai instalar um app no celular se ele não for útil de alguma forma, por isso, é importante que seja feito esse estudo.

Além disso, não são todas as empresas que oferecem soluções que demandam um app e, por conta disso, é recomendado um sistema de gestão interna ou até mesmo um site de qualidade.

BLOG

Você provavelmente já ouviu falar em Big Data. O termo, que tem ganhado a cada dia mais

relevância, extrapolou os domínios da Tecnologia da Informação e ganhou destaque em matérias de revista e jornal.

 

Tudo isso porque a capacidade de operar com grandes volumes de dados se

tornou imprescindível para negócios e organizações de todos os setores.

 

Mas então, será que se alguém te perguntar, você sabe dizer o que é esse tal de Big Data? Não? Sem problemas. Neste artigo que preparamos especialmente sobre o assunto você vai entender de uma vez por todas o que é isso e tirar as principais dúvidas relacionadas ao mercado de trabalho na área.

 

Continue conosco e veja a seguir o que é Big Data!

 

Pense em dados. Muitos dados.

Você já ouviu falar que nos últimos cinco anos a humanidade gerou cerca de 90% de toda a

informação da história? Pois é, isso não é mentira. Mas você compreende o que isso significa?

 

Este dado implica em uma capacidade de criar e armazenar um volume enorme de dados em uma velocidade também muito grande. E que dados serão esses? Todo tipo de dado.

Curiosidades na Internet, relatórios governamentais, informações de organizações privadas, etc.

 

E quando falamos em Big Data, estamos nos referindo particularmente a esta última categoria que citamos: informações geradas por empresas. De acordo com a BSA – The Software Alliance

(representante de grandes empresas de software de todo o mundo) todos os dias são criados

aproximadamente 2,5 quintilhões de bytes de informação. Isso é o Big Data.

 

Biga Data: e daí?

 

Lembra que anteriormente nós falamos da quantidade, da velocidade e dos tipos de dados

gerados? Esses são os três Vs do Big Data: Volume, Variedade, Velocidade.

 

Agora pense, se uma informação é gerada, há um objetivo para isso. Por isso, ela precisa ser

devidamente processada e analisada, certo?

 

Mas se tantas informações, de tantos tipos, são geradas tão rápido, todos os dias, como priorizar, segmentar e analisar todas estas informações de forma que elas não se percam nem tenham sua relevância reduzida? De modo que elas realmente agreguem valor para as empresas que as criaram?

 

É aí que entra o cientista de dados. Este profissional é indispensável para fazer o tratamento do Big Data.

 

Como ser um profissional reconhecido em Big Data?

 

Para obter reconhecimento neste ramo, como cientista da informação, você precisa de

algumas habilidades básicas.

 

Em primeiro lugar, é necessário ter uma boa capacidade de raciocínio objetivo para

acompanhar as necessidades dos seus clientes. Cabe a você decidir quais informações ignorar

ou valorizar, de acordo estritamente com os objetivos e protocolos da empresa.

 

Também é indispensável ter conhecimentos matemáticos, além de programação e

tecnologias, uma vez que será necessário lidar com muitos códigos em diferentes linguagens,

além de sistemas de armazenamento de informações, como computação em nuvem.

 

Por fim, conhecimentos em engenharia de redes e uma boa capacidade de avaliar riscos,

realizar simulações e solucionar problemas é indispensável, uma vez que os dados com que

você vai trabalhar são muito valiosos para a organização.

 

Com essas habilidades bem sedimentadas, é possível ser um profissional bem reconhecido na área de Big Data.

 

Leia mais também sobre  a importância de aplicativos para a sua empresa.

Conheça nosso aplicativo de controle de ponto, 3PontoWeb.

Veja mais

Explica: IA

Você provavelmente já ouviu falar sobre Inteligência Artificial. Este é um tema extremamente importante quando falamos sobre tecnologia, por isso, para deixar tudo mais simples, a 3UP vem neste artigo...

Detalhes

Fim da senha ?

Sabemos que para protegermos as nossas contas virtuais, geralmente utilizamos senhas de acesso, cujo método é um dos mais tradicionais no contexto atual em que vivemos. Sendo assim, entendemos que...

Detalhes

Atendimento humano ou de bots?

O atendimento ao cliente é um dos pilares essenciais de qualquer negócio. Um bom atendimento pode criar boas impressões da marca na memória coletiva, auxilia a fidelizar um cliente, cria...

Detalhes
Categorias
BLOG

Minha empresa precisa de um App?

Minha empresa precisa de um App?

Ter um aplicativo não é algo que precisa ser encarado como tendência e obrigatoriedade, mas sim, como um sistema que tende a entregar alguma solução efetiva aos seus clientes ou para alçar novos voos da sua empresa.

BLOG

Ter um aplicativo não é algo que precisa ser encarado como tendência e obrigatoriedade, mas sim, como um sistema que tende a entregar alguma solução efetiva aos seus clientes ou para alçar novos voos da sua empresa.


O primeiro passo para se ter um aplicativo é a relevância dele para o usuário, ninguém vai instalar um app no celular se ele não for útil de alguma forma, por isso, é importante que seja feito esse estudo.

Além disso, não são todas as empresas que oferecem soluções que demandam um app e, por conta disso, é recomendado um sistema de gestão interna ou até mesmo um site de qualidade.

Veja mais

Explica: IA

Você provavelmente já ouviu falar sobre Inteligência Artificial. Este é um tema extremamente importante quando falamos sobre tecnologia, por isso, para deixar tudo mais simples, a 3UP vem neste artigo...

Detalhes

Fim da senha ?

Sabemos que para protegermos as nossas contas virtuais, geralmente utilizamos senhas de acesso, cujo método é um dos mais tradicionais no contexto atual em que vivemos. Sendo assim, entendemos que...

Detalhes

Atendimento humano ou de bots?

O atendimento ao cliente é um dos pilares essenciais de qualquer negócio. Um bom atendimento pode criar boas impressões da marca na memória coletiva, auxilia a fidelizar um cliente, cria...

Detalhes
Categorias
BLOG

.MODELO BLOG

.MODELO BLOG

Ter um aplicativo não é algo que precisa ser encarado como tendência e obrigatoriedade, mas sim, como um sistema que tende a entregar alguma solução efetiva aos seus clientes ou para alçar novos voos da sua empresa.

BLOG

Ter um aplicativo não é algo que precisa ser encarado como tendência e obrigatoriedade, mas sim, como um sistema que tende a entregar alguma solução efetiva aos seus clientes ou para alçar novos voos da sua empresa.


O primeiro passo para se ter um aplicativo é a relevância dele para o usuário, ninguém vai instalar um app no celular se ele não for útil de alguma forma, por isso, é importante que seja feito esse estudo.

Além disso, não são todas as empresas que oferecem soluções que demandam um app e, por conta disso, é recomendado um sistema de gestão interna ou até mesmo um site de qualidade.

Veja mais

Explica: IA

Você provavelmente já ouviu falar sobre Inteligência Artificial. Este é um tema extremamente importante quando falamos sobre tecnologia, por isso, para deixar tudo mais simples, a 3UP vem neste artigo...

Detalhes

Fim da senha ?

Sabemos que para protegermos as nossas contas virtuais, geralmente utilizamos senhas de acesso, cujo método é um dos mais tradicionais no contexto atual em que vivemos. Sendo assim, entendemos que...

Detalhes

Atendimento humano ou de bots?

O atendimento ao cliente é um dos pilares essenciais de qualquer negócio. Um bom atendimento pode criar boas impressões da marca na memória coletiva, auxilia a fidelizar um cliente, cria...

Detalhes
Categorias
BLOG

Adicional Noturno

Adicional Noturno

Adicional Noturno

Além de afastar o trabalhador do convívio social e familiar, o trabalho noturno
causa uma série de prejuízos à saúde humana graças à privação de sono. Como
consequência, um maior desgaste físico e mental.


Por isso, em seu artigo sétimo, inciso IX, a Constituição Federal garante aos
trabalhadores urbanos e rurais a remuneração de trabalho noturno superior à
do diurno.


De acordo com a legislação, para os trabalhadores urbanos, é considerado
noturno o trabalho executado entre as 22h de um dia e as 5 horas do dia
seguinte.


Enquanto os trabalhadores rurais iniciam sua jornada às 21 horas e a encerram
às 5 horas do dia seguinte, os trabalhadores da pecuária realizam suas
atividades entre as 20 horas e as 4 horas do dia seguinte.


Particularidades do adicional noturno:


– No turno do dia, uma hora trabalhada equivale a 52 minutos e 30
segundos do período noturno


– O empregado recebe uma taxa extra de 20% em sua remuneração sobre
o valor da hora trabalhada


– Caso a jornada não exceda um período de 4 horas, não é necessário
intervalos para repouso


Para os trabalhadores urbanos, o adicional noturno é de 20% sobre cada hora
trabalhada. Já para os trabalhadores rurais, o adicional noturno é de no mínimo
25%. O adicional conta também sobre os demais direitos trabalhistas.

Intervalos durante o período noturno
Diferente do intervalo dos trabalhadores diurnos, o intervalo dos trabalhadores
noturnos varia de acordo com a duração da jornada de trabalho.
Para quem trabalha até quatro horas por noite, não há necessidade de intervalo.
Se realizado entre quatro e seis horas, o intervalo é de 15 minutos. Agora, se a
jornada excede seis horas, o descanso deve ter entre uma e duas horas.
Calculando o adicional noturno
Apesar de ter apenas 52 minutos e 30 segundos, a hora noturna deve ser paga
integralmente ao trabalhador. Com a redução do tempo, a jornada de oito horas
diurnas equivale a sete horas no período noturno.
Para calcular a remuneração do trabalhador noturno, basta acrescentar às horas
trabalhadas o adicional noturno de 20%.
Por exemplo:
Considere um salário de R$ 1.000 e uma jornada mensal de 220 horas.
Valor da hora = Remuneração mensal x Jornada mensal
R$ 1.000 / 220 horas = R$ 4,54 por hora
Valor do adicional noturno por hora = Valor da hora trabalhada x 20%
(adicional noturno)
R$ 4,54 * 20% = R$ 0,90
Valor da hora noturna = Valor da hora + Valor do adicional noturno por hora
R$ 4,54 + R$ 0,90 = R$ 5,44
Remuneração noturna mensal = Valor da hora noturna x Jornada mensal
R$ 5,44 * 220 horas = aproximadamente R$ 1.200
É importante ressaltar que o adicional noturno e as horas extras noturnas
também são contabilizadas sobre os demais benefícios trabalhistas:
– Férias
– 13º salário
– FGTS
– Aviso prévio
– Repouso semanal remunerado
– INSS
Hora extra noturna
Atente-se também à hora extra noturna, calculada de maneira diferente da hora
extra convencional.
Primeiro, calcula-se o valor da hora trabalhada pelo funcionário. Depois,
adiciona-se os 20% do adicional noturno sobre as horas trabalhadas e, na
sequência, mais 50% referentes à hora extra.

Nossos últimos posts.

Explica: IA

Você provavelmente já ouviu falar sobre Inteligência Artificial. Este é um tema extremamente importante quando falamos sobre tecnologia, por isso, para deixar tudo mais simples,

Ler mais »

Fim da senha ?

Sabemos que para protegermos as nossas contas virtuais, geralmente utilizamos senhas de acesso, cujo método é um dos mais tradicionais no contexto atual em que

Ler mais »

Relógio de Ponto Físico ou Aplicativo de Registro de Ponto

Sabia que as horas extras foram o assunto mais recorrente no Tribunal Superior do Trabalho em 2020? E o caso não é isolado: em 2019, elas ficaram em 2º lugar no ranking, com um total de 54.730 processos no ano. Já deu para entender a importância de ter um controle adequado de funcionários, né?

Ler mais »